Anúncio

As redes sociais e o fenômeno da des-informação

1

Redes sociaisTá legal, você pode até estar se perguntando “Mas afinal, qual a relação entre redes sociais e um site sobre intolerância à lactose?” Eu diria que tem muito a ver. As redes de relacionamentos estão se expandindo rapidamente no Brasil e no mundo. O fenômeno de redes como a Orkut, Facebook, Myspace, entre outras, têm dominado o ciberespaço e transformado a comunicação virtual através de comunidades dos mais diversos temas. É aí que entra o meu interesse em falar sobre o assunto.

Só o Orkut, a rede social líder no Brasil, com mais de 70% de integrantes brasileiros, possui milhares de comunidades e, entre elas, diversas com o tema Lactose. Entre as mais conhecidas estão: Intolerância à Lactose (2,960 membros), Alérgicos à Lactose (573 membros), Tenho Intolerância à Lactose (528 membros), Lactose x Lactase (116 membros), Intolerância à Lactose de Floripa (54 membros), entre outras . As redes sociais são excelentes pontos de troca de idéias e difusão de informação, mas ao mesmo tempo estão se tornando também um ponto de difusão de desinformação. Com freqüência, encontro discussões com diversos participantes super solícitos, buscando ajudar outros membros da comunidade e, no entanto, algumas vezes, acabam passando informações distorcidas e muitas vezes errôneas. Começando pelo próprio nome de algumas comunidades. A lactose, para a surpresa de muitos, não causa alergia, e sim a proteína do leite. Portanto, não existe Alergia à Lactose e sim Intolerância à Lactose.

Discussões nas Comunidades

Lembro de ter lido em uma das comunidades uma discussão sobre o uso de leite de cabra para intolerantes à lactose. Um dos membros explicou que consome leite de cabra há anos e que hoje sente-se muito bem usando este leite em sua alimentação. (Como assim??) Outros concordaram com a informação dada, oferecendo até receitas com leite de cabra. Felizmente (ufa!!) um membro anônimo falou sobre a possível confusão dos membros da comunidade e explicou que todos os leites possuem lactose e que, por isso, o leite de cabra não serviria para a alimentação de um pessoa com IL uma vez que contém o mesmo teor de lactose do leite de vaca. Ele salientou que esta pessoa, possivelmente, tinha Alergia ao Leite de Vaca (ALV), e não Intolerância à Lactose (IL), sendo o leite de cabra, neste caso, aconselhado como um substituto adequado.

De médico e louco, todos temos um pouco

É incrível o poder das comunidades em informar e auxiliar as pessoas nas mais diversas áreas do conhecimento. Esta comunicação multilateral que criou-se com os fóruns de discussão oferece a chance de todos nós aconselharmos, passarmos as nossas experiências àqueles que precisam, trocar idéias e até gerar discussões acaloradas. No entanto, quando o assunto é saúde, é aconselhável ler os comentários de fóruns com cautela e buscar outras fontes de informação para certificar-se quando você estiver em dúvida.

Anúncio
Compartilhe.

Sobre o autor

Portoalegrense, graduada em Letras, MBA em Marketing de Serviços pela ESPM-RS e MBA Executivo pela FDC. Na área de culinária, Luciane fez cursos no IESB, Escola de Gastronomia de Brasília, além de diversos workshops no Brasil e no exterior. Após descobrir sua intolerância à lactose em 2006, Luciane passou a pesquisar o tema e deu início à criação e adaptação de receitas, substituindo ingredientes e experimentando novos sabores. Em 2007 nasce o Semlactose.com e, desde então, Luciane atua como editora e administradora do site, sempre em busca de novidades na área.

1 Comentário

  1. Realmente é verdade, eu já vi muita bobagem escrita no orkut sobre a IL. Às vezes fico em dúvida se é ignorância ou gozação de quem escreve… Mas ainda bem que encontramos pessoas sérias também, o trabalho que dá é separar o joio do trigo.
    Abraços.

Deixe um comentário