Novas alternativas para bebês com alergia e intolerância alimentar

Milla Rubia carvalho

Leia na íntegra a entrevista com a engenheira de alimentos que desenvolveu um trabalho pioneiro na área de formulações especiais para bebês com alergia às proteínas do leite de vaca e intolerância à lactose.

Ao longo deste ano, recebemos dezenas de mensagens de mães e pais preocupados com seus filhos que sofriam com os sintomas da alergia ao leite e da intolerância à lactose. O diagnóstico nem sempre é simples e o tratamento ainda deixa muito a desejar uma vez que a dieta de exclusão, método bastante utilizado para detectar qual tipo de alimento está causando problemas, é um processo longo e preocupante para os pais. Foi a partir da própria experiência como mãe de um bebê com intolerância à lactose que a engenheira de alimentos Milla Rubia Carvalho direcionou seus estudos de graduação para o desenvolvimento de um trabalho pioneiro no País: o desenvolvimento de fórmulas especiais para bebês com alergia às proteínas do leite e intolerância à lactose. Em uma entrevista, Milla nos conta sobre seu trabalho inovador, os resultados e dá algumas dicas importantes aos pais.

O que é e como surgiu o Processo Alimentar Terapêutico?

O processo Alimentar Terapêutico é um estudo aprofundado de todas as condições ambientais que norteiam a criança que possui alergia ou intolerância ao leite de vaca. Leva-se em conta o fato de que todo e qualquer problema surge por um conjunto de fatores e estes devem ser analisados para traçar as coordenadas específicas para determinada criança.
Cada criança possui sua função específica (individualidade bioquímica) onde há variáveis (dependentes ou não) e constantes. É conhecendo a criança que se pode perceber o seu particular universo. O ato de se alimentar está profundamente ligado ao emocional, pois, a ação sensorial do organismo responde mediante estímulos, então, antes mesmo de chegar à boca, o som, o cheiro, o tato, tudo prepara a criança para o ato de alimentar-se. É um estudo das características extrínsecas e intrínsecas da criança e traz consigo a possibilidade do desenvolvimento de uma formulação feita de forma personalizada, para a criança portadora de algum distúrbio metabólico.
Ele surgiu de uma necessidade particular (meus filhos) que estava ligada tanto à intolerância a lactose como a uma gastrenterite de repetição. Nasceu de uma necessidade pessoal e da observação de centenas de mães em consultório, à espera de atendimento pediátrico e de suas reclamações. Essas observações fizeram com que o curso de Engenharia de Alimentos, no qual eu me encontrava no 2º semestre, tomasse um novo direcionamento, totalmente voltado a trabalhos que envolviam esse universo: alimentos para fins especiais no desenvolvimento de novos produtos.

Como este serviço é realizado?

Ele é exercido sobre um diagnóstico de pediatra ou nutricionista, com um contato direto com a mãe ou responsável e com o bebê. Durante uma hora a profissional faz perguntas com o intuito de se aprofundar naquele universo particular e de promover na mãe a segurança necessária para que ela se torne pró-ativa na terapia escolhida para seu filho.
Juntas, elas percebem características alimentares, sociais, emocionais e de segurança alimentar que afetam negativamente o ambiente daquele bebê. Também são levadas à mãe, conhecimentos de mercado e de produtos oferecidos para que as escolhas, no momento da compra, se tornem mais fáceis e estimulantes.
O desenvolvimento de uma formulação personalizada também é oferecido, com uma explanação dos critérios abordados, que são todos OFICIAIS. Normas, PORTARIAS e RDC´S emitidas pela ANVISA e padrões de execução de acordo com BPF e HACCP.  As matérias-primas indicadas possuem registro no M.A ou M.S e a suplementação é feita por farmácia de manipulação que tenha certificação mínima de ISO 9001. Quem realiza o mini-processo (preparo) é a própria mãe, uma vez ao dia.

Quais as vantagens entre o leite hidrolisado de formulação industrial (Pregomin, Alfaré, Prosobee) e a fórmula que você desenvolveu?

Os leites industrializados possuem alta concentração de proteínas, são isentos de enzimas e a concentração de lipídeos (gorduras) não são as ideais, preconizadas pelo CODEX ALIMENTARIUS – FAO/WHO com base nas características físico-químicas do leite materno.
Para secar um leite reconstituído rico em gorduras, é necessário o microencapsulamento e ele é feito com o uso das ciclodextrinas, que são carboidratos (açúcares), com isso, ao se elevar o teor lipídico, também eleva-se o teor dos açúcares presentes. Quando isso não acontece, o resultado é um pó com alta propensão a se aglomerar e com características reológicas desfavoráveis a uma boa dissolução, por isso, não se consegue uma proporção adequada de gorduras no leite seco.
O leite personalizado é fluido, com as proporções dosadas de acordo com o leite humano, inclusive a distribuição de aminoácidos, por isso é possível aplicar a porcentagem de gorduras adequadas (um Blend = uma mistura delas). Ademais, possui a concentração ideal de proteínas, dosadas de acordo com a IDR de cada faixa etária, sobre a sua ingesta diária, o que não acarreta sobrecarga renal ou hepática. O uso de enzima natural também é utilizado, duas vezes ao dia, no que provoca a otimização da hidrólise protéica a partir do estômago.
É um trabalho personalizado, com garantia de 90 dias para qualquer troca de formulação e que possui um custo bem mais acessível às mães, com 45% de economia sobre leites parcialmente hidrolisados oferecidos no mercado. É a mãe quem irá preparar o leite, uma vez ao dia, treinada para minimizar ao máximo, todas as possíveis fontes de contaminação que comprometam a inocuidade do alimento.

Que resultados já foram observados com o uso desta formulação especial para bebês?

A melhoria na qualidade de vida TOTAL de bebês e  de sua família. A mãe aprende muito e isso se reflete diretamente no seu nível de estresse. Uma mãe segura de suas ações e com maior autonomia sobre as decisões e manejo das situações que envolvem seu filho, provoca no bebê um bem-estar significativo.
Aliado a isso, tem-se a oferta adequada de nutrientes para um aporte calórico-proteico balanceado o que permite o organismo construir suas defesas e atingir um estado de homeostase. Já assisti bebês que, com apenas  5%(do total protéico) de aminoácidos livres, conseguiram uma boa digestão. Há uma melhora sensível da imunidade e do desenvolvimento geral do bebê, além da melhora do convívio social com as escolhas conscientes da mãe, que se encontra mais tranqüila e descansada.

Qualquer bebê, em idade de amamentação, pode ser alimentado com esta formulação especial?

É fundamental ressaltar que o melhor leite para bebês em fase de amamentação é o leite materno, produzido pela mãe. Nenhum processo industrial conseguirá imitá-lo, pois, é um leite que muda ao longo da mamada e ao longo do dia, bem como de uma mama para a outra.
Contudo, a inserção da mulher no mercado de trabalho é crescente e com isso, surge à necessidade do leite substituto. Há também casos especiais de ausência da lactação e até mesmo de intolerâncias do próprio leite humano, devido a distúrbios metabólicos bastante específicos do bebê e levam a privações na alimentação da mãe. Fator este, que pode levá-la a perder muito peso ou privar-se socialmente de se alimentar.
Cabe à mãe, juntamente com o médico responsável, decidir pelo leite substituto. As formulações que desenvolvo são funcionais e nutritivas e levam ingredientes como o ácido láurico, presente na gordura do coco, um poderoso agente nutracêutico que previne a translocação bacteriana nos intestinos, além de triglicerídeos de cadeia média (TGCM) que potencializam a absorção dos nutrientes. Trabalho o uso da fração protéica de acordo com o histórico de diagnósticos do bebê e portanto, as formulações podem  conter proteínas+aminoácidos ou até mesmo 100% de aminoácidos livres.

O que você sugere para os pais de bebês que estão com sintomas típicos de Alergia às Proteínas do Leite (ALV) ou Intolerância à Lactose?

Observem seu filho. Questionem. Sejam pró-ativos nas decisões terapêuticas. Já passamos pela era do capitalismo comercial, do industrial, do financeiro e agora vivemos dentro da era da informação. Investiguem todos os métodos de diagnósticos que estão disponíveis no mercado e certifiquem-se do REAL problema de seu bebê. Consultem um médico para orientar e medicar e estejam atentos para todas as possibilidades dentro do caminho escolhido.

Vantagens da formulação personalizada

  • Ajuste de aroma, textura e concentração;
  • Economia mensal de 45% sobre leites parcialmente hidrolisados e de 87% para leites com aminoácidos livres, pois, o cliente não paga o custo de processo (CUP), o custo de logística e o custo de divulgação;
  • A formulação é feita com base na ingesta diária da criança visando à prevenção de hipervitaminose e de hipovitaminose;
  • Permite a interação com o pediatra e/ou nutricionista;
  • Uso de lipídeo (gordura) funcional, que otimiza o sistema imunológico, por agir sobre microrganismos patológicos;
  • Permite o acesso a origem das matérias-primas, bem como informações de boas práticas de manipulação e armazenagem garantindo a segurança e inocuidade;
  • Garantia de 90 dias para qualquer mudança de fórmula;
  • Acompanhamento feito pela profissional in loco (Goiânia, Brasília, Uberlândia, Uberaba, São Paulo Capital, Campinas (SP) e via MSN ou Gmail (on line) para demais regiões.

Para entrar em contato e obter mais informações:

Milla Rúbia Carvalho
Eng.ª de Alimentos – CREA-GO:13111
Fone: 62 – 99979 27 71  
Gôiania – GO
Email: [email protected] 
www.nutraceuticosefoshu.com.br

Descobriu a intolerância à lactose há pouco tempo?

Comece por aqui:

Não, obrigado.

Primeiros Passos

Aula gratuita com tudo que você precisa saber sobre intolerância à lactose, alergia ao leite e alimentação saudável sem laticínios.