Anúncio

Novidades em Nutrição Funcional

8

Pelo terceiro ano consecutivo, o Encontro de Nutrição Funcional do Rio de Janeiro reuniu no final de agosto diversos palestrantes, médicos e nutricionistas do estado para discutir temas relativos à Nutrição Clínica, Funcional, Ortomolecular e Esportiva. A convite da Funcionali, idealizadora deste evento, a nutricionista Juliana Crucinsky, consultora do Semlactose, esteve lá para conferir de perto o Encontro e contar as novidades.

Foram 2 dias de palestras, muitas das quais, como a do professor Aderbal Sabrá e da professora Denise Carreiro Madi, reforçaram a importância de recomendações como a de evitar a introdução precoce de alimentos potencialmente alergênicos, como o leite de vaca, na alimentação de bebês. Estudos demonstram que esta introdução precoce pode causar, no futuro, doenças como fibromialgia, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Ao longo do encontro, muitos palestrantes falaram sobre a disbiose intestinal e sua relação com diversas doenças, assim como a relação do autismo com fatores dietéticos (como a ingestão de glúten e de leite), e também sobre o uso de fitoterápicos e nutricosméticos no tratamento da obesidade e na prevenção do envelhecimento precoce.

Além das palestras, de excelente nível científico, várias empresas marcaram presença no evento, apresentando seus produtos, como:

Farinha de Coco Copra
A Copra é uma indústria alimentícia especializada em processamento de coco seco no mercado desde 1998, sediados em Maceió-Alagoas. Da sua linha de produtos, destaca-se a farinha de coco. Ela é naturalmente isenta de glúten e é uma alternativa saudável à farinha de trigo, pois é rica em fibras e possui baixo índice glicêmico. Após a secagem e retirada de gordura da polpa do coco, ela é moída e finamente transformada em um pó muito similar em consistência à farinha de trigo. Além disso, ela é rica em fibras: possui teor quatro vezes maior que o farelo de aveia, duas vezes maior que o farelo de trigo, e três vezes maior do que a fibra da semente de linhaça moída. Ao contrário de outras fibras, a farinha de coco pode ser usada para fazer produtos de padaria e outros pratos onde a farinha de trigo é comumente utilizada.

Cookies sem glúten e sem lactose Hué Soy
A Hué, empresa conhecida pela sua extensa linha de alimentos dietéticos, lançou a Hué Soy, uma linha de biscoitos sem glúten e sem lactose. Os Cookies são oferecidos em 4 versões: com castanha de cajú, com castanha do pará, natural e cookies cobertos com chocolate.

Suplementos Vitafor
A empresa marcou presença demonstrando seus suplementos para a prática de atividades esportivas, além de suplementos de óleo de peixe, antioxidantes, termogênicos, pré e probióticos, enzimas digestivas, entre outros. A Vitafor também incorpora sustentabilidade em suas operações. Todos os resíduos gerados pela empresa são mínimos, não tóxicos e todas as embalagens utilizadas na fabricação dos produtos podem ser recicladas, favorecendo assim o meio ambiente.

Exames Instituto de Microecologia
Nesta edição do Encontro, o laboratório apresentou um exame para diagnóstico de Disbiose Intestinal, o KyberKompackt, que identifica (de forma quali-quantitativa) os principais grupos bacterianos benéficos ou patogêncios, presentes na flora intestinal. O Instituto de Microecologia indica a realização deste exame em casos de halitose (mau hálito), constipação crônica, excesso de gases intestinais, doenças inflamatórias intestinais, alergias, obesidade, fadiga crônica, doenças auto-imunes, infecções de repetição, candidíase vaginal de repetição e após o uso prolongado de antibióticos. Além deste exame, o laboratório também realiza o Imupro 300, que avalia alergias alimentares tardias (mediadas por IgG) causadas por 300 alimentos diferentes.

Anúncio
Compartilhe.

Sobre o autor

Graduada pelo Instituto de Nutrição da UERJ, especialista em Nutrição Enteral e Parenteral pela Santa Casa de Misericórdia (RJ), especialista em Gestão da Saúde e Administração Hospitalar pela Universidade Estácio de Sá, em Nutrição Esportiva, pela Universidade Gama Filho.

8 Comentários

  1. Olá,

    li o que você escreveu sobre esse encontro de nutricao funcional e fiquei pensando a respeito do que foi falado sobre "evitar a introdução precoce de alimentos potencialmente alergênicos, como o leite de vaca, na alimentação de bebês", pois tenho um filho de 1 ano, que ingere uma média de 700ml de leite de vaca por dia. MInha médica sugeriu o leite de amendoas como uma forma preventiva, ja que eu e o meu marido temos muitas alergias (lacotose, alergias respiratorias, etc) e a pediatra nao soube me dizer se estes leites vegetais supririam tudo que ele precisa e que tem no leite de vaca. É um pouco dificil de obter informacoes a respeito, principalmente para bebes. Voce tem algum conhecimento sobre o assunto? E essas medidas preventivas sao realmente consideraveis ou podem acabar deixando a crianca sensivel demais a alimentos industrializados, comidas mais "pesadas" que eventualmente comemos?
    Outra coisa que gostaria de saber é se qualquer nutricionaista que consultar podera me informar sobre as questoes nutricionais do meu filho ou teria que ser alguem especializado em criancas ou um nutrologo que seja pediatra? Desculpe, mas ando um pouco confusa, com algumas duvidas sobre a alimentacao do meu filho.

    Obrigada,
    Vida

    • Olá Vida,

      O que procuramos alertar em nossa matéria, é que não se deve dar os alimentos potencialmente alergênciso aos bebês antes que seu trato digestivo esteja amadurecido o sufiente para digeri-los sem que ocorram problemas. Mas seu filho já recebe o leite de vaca! E em grande quantidade! Substitu-i-lo por outro alimento agora, não terá nenhum efeito de prevenção, entende? Porém, como vc e seu marido já possuem um histórico de alergia, é importante pesquisar se seu filho não tem nenhum sintoma de alergia ao leite de vaca (já que não existe alergia a lactose, há sim, intolerancia a este carboidrato). Se for detectada a alergia aí sim é que o leite de vaca deverá ser substituído por outros alimentos, e o idel é que a alimentação seja bem variada e rica em alimentos "naturais" (frutas, legumes, verduras, arroz, feijão, carnes magras, ovo, etc).
      Crianças não devem receber alimentos industrializados, ricos em corantes, conservantes, etc, pq mesmo que estes não causem alergias, sempre acabam causando prejuízos a saúde, ainda mais se consumidos em excesso.

      Para saber se seu filho tem alguma alergia alimentar, leve-o num alergista, e num nutricionista que trabalhe com crianças. O médico faz o diagnóstico, mas o único profissional com respaldo legal para prescrever e orientar a alimentação é o nutricionista. Uma outra dica é procurar um nutricionista funcional.

      Gde abraço,

      Juliana

  2. Oi Juliana. Tenho problema de SCI e tem piorado nos últimos anos. Preciso fazer dieta constante de açucares, farinhas industrializadas , fermento biológico e frutose. Queria saber sobre esses exame que diagnostica a disbiose e, se é a intolerância que causa a disbiose ou ainda, se é a SCI que faz com que tudo isto aconteça. Fiz aquele tratamento com nutróloga e fiquei bem por 3 anos. Só que o tratamento é muito agressivo e caro. Aqui em Curitiba existe o exame para disbiose? è exame de sangue?Obrigada.

    • Olá Lílian,

      Para saber se o exame é feito em sua cidade, entre em contato direto com o Instituto de Microecologia,para que eles possam te indicar o local para envio/coleta do material. É um exame de fezes.
      Sobre as suas dúvidas, um problema pode predispor ao outro, independente da ordem em que apareçam. Mas se a disbiose não for tratada, ela pode predispor ao surgimento de outros problemas.

      Gde abraçom

      Juliana

  3. Olá Juliana,
    Aproveito seu texto para fazer uma pergunta. Antes, digo q já provei produtos da Vitafor e são bons. Provei o Whey Isolado e o as enzimas do Enzyfor, que tem LActase.
    Bom, gostaria de saber qual a função dos pré e próbioticos na restauração da flora intestinal. Pergunto isso pq minha nutricionista nunca me receita sintéticos, para ela só a alimentação adequada é sufuciente para reparar a flora desgastada pela intolerância a lactose. No entanto, a nutricionista da academia me receitou pré e próbioticos e glutamina? Tá difícil de entender suas colegas kkkk

    • Olá Francisco,

      Cada profissional tem uma conduta e não cabe a mim, criticar ou emitir opiniões, entende?
      Os probióticos são bactérias "do bem", que por utilizarem a lactose como alimento, ajudam a amenizar os sintomas da IL e os prebioticos são fibras alimentares, também utilizadas por estas bacterias boas como alimento, e fazem com que elas se multipliquem, aumentando sua população no intestino. Agora v precisa decidir com qual nutricionista vai se tratar, pq ir a cada hora num profissional, vai acabar prejudicando mais do que ajudando…

      Gde abraço,

      Juliana

Deixe um comentário