Anúncio

Bebês podem ingerir alimentos alergênicos, diz estudo

21

news_folhaA matéria publicada pela Folha Online no dia 11/01/10 comenta sobre a introdução de alimentos alergênicos na dieta de bebês, um tema polêmico entre profissionais da saúde, discutido no último congresso mundial de alergia realizado em Buenos Aires. Selecionamos alguns trechos da matéria e publicamos neste post.

A introdução de alimentos alergênicos na dieta de bebês é sempre avaliada com muita cautela por pediatras e nutricionistas, que acreditam que atrasar a introdução desses alimentos ajuda a prevenir o desencadeamento de alergias alimentares nos pequenos.

No entanto, a matéria menciona um estudo divulgado no World Allergy Congress em Dezembro de 2009, demonstrando que tal atraso pode não ser tão benéfico como pensado:

Cientistas finlandeses de várias universidades, incluindo a de Helsinki, acompanharam durante cinco anos 994 crianças. Após avaliar dados como duração do aleitamento materno, níveis de IgE (o principal anticorpo envolvido nas reações alérgicas) e idade com que essas crianças começaram a comer batatas, aveia, centeio, trigo, carne, peixe e ovos, eles concluíram que a introdução tardia desses alimentos esteve mais relacionada ao risco de sensibilidade alérgica. Ovos, aveia e trigo foram os itens mais relacionados às reações.

Outro conceito interessante é a Janela Imunológica. Um período considerado como o momento ideal para se fazer a introdução desses alimentos.

Isso porque, ao nascer, o sistema imunológico do bebê é extremamente imaturo. Como a alergia é uma resposta exagerada do sistema imune a corpos estranhos, à medida que amadurece ele responderia com mais força a agentes potencialmente causadores de alergias. Se o alimento for introduzido mais tarde, o sistema estaria mais preparado para responder com mais força.

“Hoje já não recomendamos atrasar a introdução de alimentos”, diz Ana Paula Moschione, presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia – Regional São Paulo e médica-assistente da unidade de alergia e imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, em São Paulo. “Mas também não recomendamos adiantar nada”, enfatiza ela. A sociedade americana de pediatria já faz essa recomendação.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Anúncio
Compartilhe.

Sobre o autor

Portoalegrense, graduada em Letras, MBA em Marketing de Serviços pela ESPM-RS e MBA Executivo pela FDC. Na área de culinária, Luciane fez cursos no IESB, Escola de Gastronomia de Brasília, além de diversos workshops no Brasil e no exterior. Após descobrir sua intolerância à lactose em 2006, Luciane passou a pesquisar o tema e deu início à criação e adaptação de receitas, substituindo ingredientes e experimentando novos sabores. Em 2007 nasce o Semlactose.com e, desde então, Luciane atua como editora e administradora do site, sempre em busca de novidades na área.

21 Comentários

  1. Olá Érica,

    Só mesmo o tempo vai dizer. Mas se ela já nasceu com a intolerância, é porque o intestino dela não produz a enzima necessária à digestão da lactose (lactase), e com isso, talvez ela não tolere bem nem mesmo quantidades pequenas de lactose. De qq forma, nesse primeiro momento, siga as orientações do médico e observe como ela ficará, se ganhará peso e se não apresentará mais nenhum sintoma. Depois, a medida que outros alimentos puderem ser introduzidos na alimentação dela (com a orientação do médico ou de um nutricionista), vc poderá ver a possibilidade de tentar algum alimento com baixo teor de lactose, mas sempre coma devida orientação profissional, ok?

    Gde abraço,

    Juliana

  2. Bom dia Juliana

    Tenho uma filha de 7 meses, como ela não estava engordando somente com o leite materno, com 20 dias o pediatra introduziu o Nan Confort, ela aceitou e tomou normalmente, depois de 10 dias que introduzi o leite percebi um certo sangramento nas fezes, levei em 5 médicos e todos diziam que ela tinha uma fissura anal e que o sangramento era devido a fissura, comecei a usar pomadas e nada tinha resultado, eu inconformada percebi que o sangramento aumentou e eu tinha tbém aumentado a mamadeira, de 60 p/ 90 ml, levei ela novamente no 6º médico o qual me encaminhou para um gastropediatra, este pediu o exame que confirmou a IL. Imediatamente introduzi o leite de soja, e depois de mais ou menos uma semana o sangramento parou.
    Será que minha filha vai poder comer derivados, como bolo, doces, iogurtes, pois o leite mesmo acredito que não será problema pq ela gosta do leite de soja.

    Abraço
    Obrigada

  3. Bom dia Anamaria!

    O intestino dela está sem funcionar? Pode ser por causa do Imosec, que não é um medicamento para o estômago! O Imosec é prescrito em casos de diarréia, como vc pode ver na bula (link abaixo).
    http://www.bulas.med.br/p/imosec+-2876.html
    Pode ser que a dor abdominal e os gases estejam sendo causados pelo medicamento.Converse com o médico a respeito, veja não é possível suspender o medicamento ou pelo menos, reajustar a dosagem.

    Se depois disso, caso ela se alimente de outros alimentos além do Peptamen Jr, os sintomas não melhorarem, converse com médico para pesquisar alergias e intolerancias alimentares. O Peptamen Junior, por ser uma dieta parcialmente hidrolizada (tem as proteínas "quebradas", pra facilitar a digestão) e por não conter lactose, nem glúten, costuma ser bem tolerada.

    Também seria aconselhável que sua filha tivesse acompanhamento com nutricionista.

    Gde abraço,

    Juliana

  4. Boa tarde!
    Eu tenho uma filha, com 6anos, nasceu com Síndrome de dow e aos 9 meses, teve sindrome de west, ficando comprometida, paralisia cerebral.
    Ultimamente ela vem tendo problemas: terrível dor abdominal, gases e o intestino não funciona. A gastro fez vários exames não apresentando nenhum problema.
    Ela toma motilium e lmosec para o estomago e gardenal, trileptal e depakene para a convulsão. Parece que está tendo intolerância a alguns alimentos. A dieta que apresentou menos efeito colateral foi o Peptamen junior. Os médicos daqui (MS) não sabem o que ela tem. O que você acha?
    Aguardo retorno, obrigada,
    Anamaria

  5. Marize Vieira on

    Olá Juliana!

    Tenho uma filha com galactosemia. A ezima galactose 1 fosfato uridil transferase é produzida no fígado e não no pâncreas, portanto, se minha filha receber um transplante de fígado (o meu – sou apenas portadora / sendo sua mãe talvez não tenha rejeição), ela poderia ter uma vida "normal"? (não me refiro a poder ingerir leite, para mim isso é o de menos, mas o que me preocupa é a falência ovariana pelo acúmulo de galactose nos ovários, isso em 90% das galactosêmicas antes dos 25 anos.

    Certa vez já ouvi dizer que a medicina estudadva a possibilidade de transplante de fígado para galactosêmicos. Você já ouviu algo assim? O que você acha?

    Agradeço a atenção.

    Marize Vieira.

  6. Olá Franciele,

    Primeiramente é muito importante vc saber que não existe alergia ao açúcar do leite! Aliás, nosso organismo não desenvolver alergia a nenhum tipo de carboidrato (açúcares), pois açúcares não são capazes de interagir com o sistema imunológico! As proteínas presentes nos alimentos, sim, podem desencadear reaçõea alérgicas, que por sinal, podem ser fortíssimas, já que o sistema imune "pensa" que tais proteínas podem ser um invasor e trata de tentar exterminá-las e a partir desta reaçõ é que todas as reações alérgicas são desencadeadas!

    Com referência ao açúcar do leite (a lactose), o que acontece é que o organismo deixa de produzir (ou passa a produzir em menor quantidade) a enzima responsável por sua digestão. Aliás, cada nutriente necessita de uma enzima específica para ser corretamente digerido. Assim, na ausência (ou na menor quantidade) da enzima lactase, o quadro que se estabelece é de INTOLERÂNCIA à lactose e todos os sintomas que surgem (dor abdominal, diarréia e/ou preisão de ventre, excesso de gases, barriga estufada, etc), são causados "simplesmente" porque a lactose fica sobrando no intestino.

    Essa lactose não digerida, atrai água, que vai causar a diarréia, numa tentativa do organismo de "expulsá-la". E enquanto o organismo não consegue elimar totalmente a lactose (através das fezes), as bactérias presentes no intestino passam a usá-la como alimento (fermentando este açúcar), o que provoca os gases e a distensão abdominal, que por sua vez, causam dor.

    Como muitas bactérias "do bem" também são capazes de fermentar a lactose, muitos latícinios, que contém estas bactérias 9os lactobacilos), apresentam um teor bem reduzido de lactose, o que possibilita seu consumo pela maioria dos intolerantes a lactose. Assim, é importante que vc tente perceber o quanto seus filhos tem de intolerancia (se são capazes de tomar um iogurte, por exemplo, sem apresentar os sintomas ou se não toleram absolutamente nada de lactose), para que a alimentação deles não se torne tão restrita.

    Muitas pessoas com IL toleram bem os iogurtes (que passam pelo processo de fermentação), os leites fermentados, os leites com baixo teor de lactose e alguns tipos de queijo. em geral, so é necessário excluir completamente a lactose logo que a doença é descoberta, como forma de dar um "descanso" ao intestino e posteriormente, os alimentos vão sendo re-introduzidos na alimentação. Mesmo que durante estes testes de re-introdução da lactose, algum sintoma surja, as consequencias não são graves, a não ser pelo desconforto passageiro.

    A não ser nos casos de ALERGIA (SEMPRE causadas pelas PROTEÍNAS, NUNCA pela LACTOSE!!!), é que tudo (absolutamente tudo) que tiver leite, derivados ou "traços de leite" precisarão ser excluídos, pois as reações podem ser muito graves e por a vida em risco.

    De qualquer forma, seria ibnteressante vc consultar um nutricionista, para fazer uma avaliação da alimentação deles, verificar se não nenhuma deficiencia nutricional (ou risco de deficiencias) e para que o profissional possa ajudá-la com diversas informações importantes para o seu dia a ida e dos seus filhos.

    E em nosso site, vc encontrará diversas receitas isentas de lactose e várias matérias publicadas a respeito da IL. Aproveite e faça seu cadastro, para que vc receba sempre as novidades em seu e-mail!

    Gde abraço,

    Juliana

  7. franciele p francoso on

    Olá tudo bem? Há pouco tempo descobri que os meus filhos tem alergia ao açúcar do leite. Tenho um de 4 e outro de 6. A mais nova de 4 meses. Estou fazendo a dieta que a pediatra mandou. Parei de ingerir leite de vaca e tudo que tem lactose. Fico sem saber o que eles realmente podem comer. Por favor, se vc puder me mande um saite que eu possa ver algumas coisas pq eu estou cega. Muito obrigada.

  8. Olá Célia,

    Infelizmente não temos como precisar QUANDO ela vai poder voltara comer de tudo. Somente com o decorrer do tratamento é que o médico poderá ter uma noção de quando isso será possível e somente o médico ou um nutricionista é poderão orientar com segurança o que e quais quantidades ela poderá ingerir, já que a re-introdução dos alimentos precisa ser feita de forma gradual, para evitar qualquer tipo de complicação.

    Quanto a ela não aceitar q não pode comer certos alimentos, é importante q vc sempre converse com ela, que explique o que ela tem, o por que de não poder comer certas coisas e quais os riscos a que ela está exposta, caso coma escondido, por exemplo. Talvez vc precise conversar inúmeras vezes com ela, já nem sempre é fácil para as crianças, entender certas coisas.

    Gde abraço,

    Juliana

  9. CÉLIA SANTOS on

    Boa tarde!

    Meu nome é Célia Cristina, descobri que minha filha de 1 ano e 4 meses tinha alergia ao leite de vaca, foram feitos 2 testes e o alergista informou que o grau era bem pequeno que com 6 meses de tratamento poderia acabar entao tive que mudar toda a alimentaçao dela, pois, ela esta na creche e nao se adaptou, vivia doente sempre com gripe, febre teve até paneumonia, nao teve manchas pelo corpo nem coceiras faz o tratamento a 5 meses hoje ela toma soja e tenho que fala para ela quando ve um criança comendo que tudo é ruim para que ela nao queira, ela diz é ruim mamae nao presta e tenho que leva seus alimentos onde for. Ela ainda mama no peito e tento o maximo para nao comer nada que contenha leite de vaca. Minha pergunta é será que após 6 meses de tratamento ela poderá comer tudo?

    Grata.

    Célia Santos

    Rio de Janeiro

  10. Meu filho tem 2 anos e tem IL alta e meu vizinho também tinha, mas a médica dele começou a introduzir um pedaço de queijo pequeno por dia e depois uma colher de (café) de danoninho e ele começou a melhorar. Hoje está curado, mas meu médico disse que isto é incorreto, o que devo fazer? IL tem cura ?

  11. Olá Cristiane,

    Infelizmente não temos como precisar em quanto tempo o sangramento desaparecerá, mas outras causas, além de alergia alimentar devem ser pesquisadas também.

    É importante que durante dieta de exclusão vc seja acompanhada por um nutricionista, para evitar que vc venha ater alguma deficiencia nutricional importante. Assim, como é importante priorizar uma alimentação "mais natural", rica em frutas, legumes e verduras e com menor ingestão de produtos industrializados, enlatados, etc, como é o caso do atum em lata, que por ser rico em sódio, pode provocar aumento da sua pressão arterial e retenção de líquidos. Além disso, peixes também podem causar alergia em bebês.

    Quanto a questão dos exames, são os mesmos realizados em crianças maiores, mas por serem invasivos (ou se faz um exame de sangue para dosar a IgE ou se faz o teste na pele), o médico deve pesar bem os prós e contras de indicá-los a bebês tão pequenos como o seu.

    Gde abraço,

    Juliana

  12. Olá Juliana!!
    Meu filho está com 2 meses e a quase um mês veio apresentando traços de sangue nas fezes. A gastro solicitou que eu fizesse uma dieta rigorosa de exclusão – leite, derivados, carne vermelha, ovos, castanhas, soja. Faz uns 10 dias que estou fazendo a dieta, percebi que melhorou bastande com uma semana de dieta, porém em algumas trocas de fralda vejo a presença de sangue de uma forma menos branda. Quanto tempo demora pra não aparecer mais nenhum sangue nas fezes do meu bebê através da dieta de exclusão? Nossa, fico super angustiada pensando que pode ser algum alimento que estou consumindo. Gostaria de saber também se o atum em lata deve ser evitado?
    Outra dúvida é: existe outra forma (exames) de diagnosticar a alergia ao leite de vaca e derivados no caso dos bebês que estão em consumo exclusivo do leite materno?
    Atenciosamente, Cristiane!

  13. Olá Jussara!

    O leite materno não causa alergia de forma alguma! Muito pelo contrário! Mas como ele tem alergia ao leite de vaca, vc deverá evitar consumir leite e derivados, pois muitas vezes, os alérgenos presentes no leite de vaca, podem "passar" para o seu leite e desencadear reações alérgicas no seu bebê, etende?

    Mas o leite materno só deve ser dado até os 2 anos de idade…depois disso ele não suprirá mais as necessidades do seu filho e realmente será necessário adequar a alimentação dele para prevenir o surgimento de deficiencis nutricionais.

    Tb será necessário ler atentamente o rótulo de tudo o que for dar a ele, para evitar a ingestão acidental de derivados do leite.

    Sugerimos que vc consulte um nutricionista, para adequar tanto a sua alimentação, quanto a dele.

    Gde abraço,

    Juliana

  14. Olá… tenho um filho de 1 ano e um mês e descobri a uma semana q ele tem alergia ao leite de vaca. O médico me aconselhou a dar somente mamá no peito e continuar com os alimentos e frutas. O leite da mãe pode causar alergia também?

  15. Olá Carleslene,

    Como já existe este diagnóstico de ALV e IL, é importantíssimo que ela siga rigorosamente a dieta de exclusão, pois como a alergia é sempre mais grave que a IL apesar de se manifestar com sintomas brandos, é necessário excluir o alimento em questão, pelo menos até que o intestino consiga se recuperar dos danos.

    Quanto maior e mais persistente a diarréia, mais a IL vai se prolongar, pois é provável que a IL dela seja decorrente da diarréia persistente.

    O melhor a fazer, é levá-la a um gastropediatra ou a um alergologista e a um nutricionista, pois ela NECESSITA excluir leite, derivados e qq alimento que os contenha de sua alimentação!

    Gde abraço,

    Juliana

  16. carleslene alves cam on

    Minha filha tem hoje 10 anos, apresenta diarreia e dor de barriga, mas não apresenta nada na cútis, nem tem refluxo, desde que nasceu, e vasculhando a origem, os médicos diagnosticaram alergia a leite e ultimamente já dizem que ela tem tanto alergia como IL. Há 4 meses não tenho a resposta de melhora, que sempre tinha quando ela saia da dieta e consumia algum alimento que continha leite, a exemplo do hamburger do Mc Donald. O pão daquele estabelecimento contém leite, que é um exemplo clássico na minha situação, suspenso a absolvição deste alimento, logo após alguns dias seu intestino regulava. Agora não consigo sucesso, minha filha encontra-se numa diarreia crônica desde outubro/2009. Isso lhe da sofrimento corriqueiro de dor de barriga com diarreia e, às vezes dor de cabeça. Essa situação já está afastado-a das atividades escolares, e mesmo com dieta balanceada não consigo aliviar as dores e a diarreia.
    Se possível comente o caso.
    Desde já grata.

  17. Karen, meu filho tb tem 3 anos e está com suspeita de alergia ao leite, mas nada confirmado ainda. O médico pediu que eu suspendesse o alimento dele por aproximadamente 6 meses e se ele realmente for alergico à esse alimento que com essa suspensão ele poderá voltar à consumir novamente. O único sintoma dele é coceira e urticárias. Parece simples, mas de acordo com o médico, se o tratamento não for rigoroso, não surtirá efeitos. É muito difícil, pois quase todos alimentos têm traços de leite e meu filho acha tudo ruim. Estou realmente preocupada com essa situação, pois é difícil pra mim dizer "não coma algo" quando ele vê outra criança comendo…. Enfim preciso tentar esse tratamento de choque!

    Abçssss

    Magda

  18. Olá Karen,

    acho q vc está fazendo confusão entre alergia às proteínas do leite e intolerancia a lactose. A lactose é o açúcar do leite e nada (a não ser o fato de estar presente no leite) tem a ver com as proteínas. A alergia ao leite é causada por alguma das proteínas presentes no leite, enquanto que a IL é uma incapacidade do organismo em digerir o açúcar do leite.

    Coceiras no corpo podem ser indícios de alergia, não de intolerancia, já que os sintomas da IL ficam restritos ao trato digestivo (diarréia ou constipação, dor abdominal, gases, desconforto). Os sintomas de alergia ao leite podem afetar o trato digestivo (podem ser os mesmos sintomas da IL, além de refluxo, sangramento nas fezes, etc, dependendo do quadro), o trato respiratório, e a pele (coceiras, urticária, etc).

    Quando a alergia é diagnosticada, por ser uma doença muito mais grave que a IL (apesar de algumas vezes se manifestar com sintomas brandos) o alimento responsável precisa ser totalmente eliminado da alimentação, já que é impossível prever a intensidade de uma crise alérgica. A presença de só um sintoma alérgico não deve ser usada como parâmetro para indicar se a alergia é frave ou não! O alimento precisa ser excluído de qq maneira, e o tratamento deve ser feito sempre com orientação profissional, pois somente o médico tem condições de avaliar se em outra ocasião, o alimento poderá ser testado novamente.

    Já intolerancia, o máximo que ocorre, é o desconforto e a diarréia, mas que normalmente não são graves. E a tolerancia só é descoberta no dia a dia, após a observação de sintomas relacionados a ingestão de alimentos contendo lactose.

    É importante vc ter certeza do diagnóstico, para que seu filho não venha a ingerir nada que possa desencadear uma crise alérgica! E lembre-se, a lactose NUNCA provoca alergia, só intolerancia, ok?

    Grande abraço,

  19. Boa Tarde, meu filho Gabriel de 3 anos é alérgico a proteina do Leite, porém o unico sintoma que ele apresenta ao ingerir a lactose é coseira pelo corpo, nunca teve dor abdominal , diarréia ou qualquer outro sintoma. Isso pode significar que ele é grau baixo ? Ou que ele pode se curar ?

    Grata
    Karen

  20. Olá Maria das Graças,

    Não há uma idade específica. Isso quem tem q decidir é(são) o(s) profissional(ais) que acompanha(m) a criança!
    Jamais poderíamos te dar uma orientação como essa pela internet. Converse com o médico dele a respeito, pois com a retirada do Pregomin, outros alimentos serão necessários (ou outras quantidades dos alimentos que ele já consome), para substituir os nutrientes que estarão sendo retirados e prevenir o surgimento de deficiencias nutricionais.

    Gde abraço,

    Juliana

  21. Maria das Gra&ccedil on

    Gostaria que vocês me informassem até que idade é necessário o uso de pregomin leite, sendo que a criança se alimenta muito bem come de tudo e tem 4 anos.

Deixe um comentário