Anúncio

Disbiose intestinal e sua relação com intolerâncias e alergias alimentares

37

disbiose instestinalO intestino humano abriga cerca de 100 trilhões de microrganismos, a chamada microbiota intestinal (ou “flora microbiana”), dentre os quais, cerca de 400 espécies de bactérias apresentam importância vital para a saúde. O desenquilíbrio dessa flora microbiana pode influenciar no surgimento de alergias e intolerâncias alimentares. Entenda melhor sobre o tema e sobre a relevância desses microorganismos para a nossa saúde e bem estar.

Desde os tempos de Pasteur os cientistas já conheciam a importância do papel  desempenhado pelas bactérias intestinais, que pode ser comprovado em 1908 pelo cientista russo, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia Elie Mechnikof, ao estudar camponeses no interior da Bulgária que consumiam leite fermentado. Estes camponeses viviam por muitos anos e apresentavam baixas taxas de doenças, quando comparados com outras populações. Mechnikof conseguiu isolar os lactobacilos bulgaricus presentes no leite fermentado dos camponeses e realizou estudos que reafirmaram sua eficácia na manutenção da saúde.

No estômago existem poucas bactérias devido à acidez excessiva. No intestino delgado, a quantidade de bactérias aumenta à medida que o intestino grosso se aproxima e é nele onde a maior parte das bactérias se fixa (colonização bacteriana), chegando a abrigar entre 10 bilhões a 10 trilhões bactérias/g de tecido. Muitas destas bactérias são eliminadas diariamente através das fezes e outras tantas são ingeridas junto com a alimentação, o que nos permite concluir que a colonização é temporária e a chamar a atenção para a vigilância quanto à busca por um equilíbrio nesta microbiota, pois nem todas as bactérias são benéficas, sendo muitas delas, causadoras de doenças (bactérias patogênicas).

O equilíbrio da microbiota intestinal é fundamental, já que muitos dos microrganismos presentes desenvolvem um importante papel na nutrição, fisiologia e regulação do sistema imunológico. Os lactobacilos são o principal gênero de bactérias probióticas presentes no intestino delgado e englobam diversas espécies como os L. brevis, L.bulgaricus, L. acidophilus, L. casei, entre outros. Já as bifidobactérias são o gênero predominante no intestino grosso e muitas podem ser usadas como probióticos na alimentação, como as B. animalis, B. bifidum, B. lactis, etc.
Os probióticos são microrganismos vivos, ingeridos através da alimentação e/ou da suplementação que exercem algumas funções essenciais para a manutenção da saúde, como: função nutricional (pois também sintetizam algumas vitaminas do complexo B e vitamina K),função digestória (atuam na síntese de enzimas digestivas, como algumas proteases e peptidases, que são enzimas responsáveis pela digestão de proteínas, mas principalmente colaboram na síntese da enzima LACTASE, indispensável a digestão da lactose). Os probióticos também ajudam a regular o trânsito intestinal e a absorção de nutrientes, além de auxiliarem na diminuição dos níveis de colesterol plasmáticos. Estas bactérias também apresentam função metabólica, pois ao fermentarem, as fibras presentes na alimentação produzem ácidos graxos de cadeia curta, que são usados pelas células do cólon como fonte de energia. Os probióticos apresentam função imunomoduladora, sendo essenciais ao desenvolvimento e maturação dos sistemas imunes entérico (sistema imune do intestino) e sistêmico. Além disso, contribuem para a maior tolerância oral, diminuindo as chances de surgimento de alergia alimentar.

Entretanto, inúmeros fatores influenciam na composição desta microbiota, como a idade, tempo de trânsito intestinal (presença de diarréia ou de prisão de ventre), pH intestinal (índice de acidez intestinal), disponibilidade de matéria fermentável (que servirão de “alimento” a estas bactérias, como as fibras solúveis – prebióticas e a lactose), interação entre todos os componentes desta microbiota, suscetibilidade a infecções, integridade do sistema imune, uso de antibióticos (que matam as bactérias causadoras de infecção, mas também destroem as bactérias da microbiota) e de medicamentos imunossupressores (que interferem com os mecanismos de defesa do organismo), hábito alimentar, estresse, entre outros.

Crianças alimentadas exclusivamente com leite materno apresentam melhor colonização intestinal do que as crianças alimentadas com fórmulas infantis e por este motivo também apresentam menor incidência de alergias alimentares. Entretanto, ao longo da vida, os fatores citados acima vão influir mais ou menos na manutenção de uma microbiota saudável.

Quando ocorre um desequilíbrio entre estes fatores, levando a uma diminuição da quantidade de probióticos no intestino e aumento das bactérias prejudiciais, surge a condição denominada DISBIOSE INTESTINAL, que face a este desequilíbrio leva a uma maior fragilidade da mucosa intestinal, propiciando o surgimento (ou piora) de alergias alimentares tardias, intolerâncias alimentares (como a IL), diarréias e até mesmo câncer de cólon, devido ao aumento da permeabilidade intestinal, visto que o intestino torna-se menos seletivo ao absorver algumas substâncias.

Diversos estudos têm sido realizados para avaliar o papel protetor das bactérias probióticas e da alimentação na manutenção da integridade intestinal. Nestes estudos observou-se um melhor controle da função intestinal (melhora tanto da diarréia quanto da prisão de ventre), melhora da tolerância à lactose, diminuição das infecções do trato geniturinário (como candidíase de repetição), melhora da função imunológica, dos sintomas da SII (Síndrome do intestino irritável), das DII (doenças inflamatórias intestinais), entre outras.

Juliana Crucinsky
Nutricionista

Referências bibliográficas

  • Paschoal, Valéria et al. Ecologia e Disbiose Intestinal. In: Nutrição Funcional – dos princípios à prática clínica. São Paulo: VP Editora, 2007;
  • Saad, Suzana Marta Isay. “Prebióticos e probióticos: o estado da arte”. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. vol. 42, n. 1, jan./mar., 2006;
  • Hawrelak, Jason A., Myers, Stephen P. “The causes of intestinal dysbiosis – a review”. Alternative Medicine Review, 9(2), 2004.
Anúncio
Compartilhe.

Sobre o autor

Graduada pelo Instituto de Nutrição da UERJ, especialista em Nutrição Enteral e Parenteral pela Santa Casa de Misericórdia (RJ), especialista em Gestão da Saúde e Administração Hospitalar pela Universidade Estácio de Sá, em Nutrição Esportiva, pela Universidade Gama Filho.

37 Comentários

  1. Já havia lido sobre os benefícios dos probióticos… porém nunca os encontrei em algum alimento para intolerantes a lactose, apenas nos produtos lácteos. Se souberem de algum, por favor me avisem!!!

  2. Por favor, me avisem tb. Sou totalmente intolerante à lactose e sofre muito com isto. Os probióticos só os encontro nos produtos lácteos. Se vocês pudem me ajudar, agradeço imensamente. Um abraço. !!!

  3. Olá, gostaei muito da informação!!

    Tb gostaria de saber quais alimentos são indicados para os intolerantes à lactose que cumpra esta função reguladora.

    Grata

  4. Olá Silvana, Elizabeth e Vera,

    Existem probióticos vendidos em sachês que cumprem essa função reguladora e são totalmente isentos de lactose. Em geral, esse produto pode simplesmente ser adicionado à água, suco ou chás. Cito 2 produtos que conheço:

    1. Symbio-fort

    CONTÉM 5 CEPAS DE PROBIÓTICOS!

    Lactobacillus Acidophilus: possui ação anti-microbiana e produz enzima lactase, sendo essencial para indivíduos com intolerância à lactose.

    Lactobacillus Casei: possui importante função imunomoduladora aumentando as defesas naturais do organismo

    Bifidobacterium bifidum: combate os patógenos e melhora a absorção de minerais, principalmente: ferro, cálcio e magnésio e também a produção de vitaminas, principalmente as do complexo B.

    Lactococcus lactis e Bifidobacterium lactis:ajudam na redução do pH do organismo inibindo o crescimento das bactérias patogênicas.

    2. Lactofos

    É a associação da fibra prebiótica FOS com 4 tipos de cepas probióticas que em sinergia, tem um efeito benéfico no organismo, reconstituindo e reequilibrando a flora intestinal de forma natural.

    Abçs,

  5. Só para complementar a informação postada pela Luciane sobre os probióticos:

    Também existe o Lactivos (do Laboratório Roberg, vendido no RJ pela Metabólica), e hoje os probióticos também podem ser comprados em algumas farmácias de manipulação, mediante prescrição de médicos e/ou de nutricionistas.

    Juliana

  6. Adriane Dalla Zen on

    Minha filha tem cinco meses e meio, chora muito de cólicas por ter intolerância

    a lactose. Existe algum tipo de probiótico que possa dar a ela?

    obrigada

  7. Olá Adriane!

    Se ela ainda está chorando por causa das cólicas, alguma coisa está errada!

    Converse com o pediatra dela a respeito! E quanto a dar probióticos a ela, também só o médico poderá avaliar.

    Gde abraço.

  8. olá! Tenho IL e retirei a vesícula há algum tempo. Apesar de não comer nada que contenha lactose, tudo que como solta o intestino. Verduras,legumes, nao sei mais o que fazer. Se eu tomar o probiótico, pode melhorar?

    obrigada.

  9. Excelente e esclarecedor seu texto, Juliana! Parabéns!

    Há alguns meses, uma nutricionista me receitou "pó de banana verde" para regular o intestino. Se eu não me engano, ela se referiu à disbiose. Esse pó é tbem um probiótico? Ele ajudaria na IL?

    Um abraço e obrigada!

  10. Olá Carla!

    Obrigada! Nosso objetivo é justamente esclarecer nossos leitores e trazer sempre informações atuais!

    Quanto a sua dúvida, é o seguinte: a banana verde (in natura ou em pó) atua como um PREbiótico, pois é rica em "amido resistente", que é um tipo de fibra que pode ser usada pelas bactérias PRObióticas como alimento. Assim, como os probióticos estarão "alimentados" no intestino, eles se multiplicam com maior facilidade, recolonizando o intestino e impedindo que bactérias patogênicas (as bactérias "do mal") se multipliquem e causem problemas. e por este mecanismo de ação, que a polpa da banana verde melhora a disbiose e INDIRETAMENTE ajuda aos que tem IL.

    Gde abraço.

  11. Olá Elenice!

    A sua diarréia, nesse caso, pode estar relacionada à retirada da vesícula!

    A vesícula é uma pequena "bolsa" localizada embaixo do fígado e sua função é concentrar a bile, para "otimizar" a digestão das gorduras. Quando a vesícula é retirada, a bile produzida no fígado é liberada diretamente no intestino delgado, menos concentrada. Todo paciente que retira a vesícula, precisa ser orientado quanto à diminuição na quantidade de gordura ingerida no pós operatório, até que o organismo se adapte a trabalhar sem a vesícula.

    É importante que vc observe o que tem ingerido, se não está ingerindo muita gordura. Converse com seu médico a respeito e procure a orientação de um nutricionista o quanto antes.

    E quanto a questão de fazer uso dos probióticos, convém conversar com eles também a respeito.

    Gde abraço.

  12. Luciane, onde encontro esses probióticos? Em farmácias?? Acho que então vou precisar de receita para isso né!!! Fico no aguardo!!

    Obrigada!!

  13. Silvana,

    A receita só é necessária se você for manipular o probiótico. Para comprá-lo pronto você deverá encontrá-los nas lojas Mundo Verde, ou outras lojas que vendem suplementos nutricionais em sua cidade ou também pela internet.

    Abçs,

    • Luciane ja fui em mtas lojas e ñ consigo encontrar, vc sabe o nome de alguma ou um saite confiavel? Me ajude a nutricionista passou p mim, obrigada.__

      • Olá Mirian,

        Qual foi o produto que a sua Nutricionista prescreveu?
        Veja com ela se ela tem alguma indicação de loja ou site de confiança, onde vc possa efetuar a compra.

        Gde abraço,

        Juliana

  14. Durante mais de 12 anos tive disbiose intestinal, com as infiltrações intestinais acabei tendo uma intoxicação por aluminio que piorou as coisas. Agora estou finalmente fazendo o tratamento certo, pois sempre me tratava para depressão. Gostaria de saber quanto tempo o organismo demora pra apresentar melhoras?

  15. Olá Lucimara!

    É difícil prever a reação de cada organismo, ainda mais num caso como o seu, que demorou tanto para ser corretamente diagnosticado e tratado. O importante é que vc siga rigorosamente o tratamento e não descuide da sua alimentação!

    Gde abraço,

    Juliana

  16. Queria saber se existe alguma contraindicação para usar probióticos em lupus. Não tendo contraindicação, seria melhor manipulá-los?

    • Olá Renato,

      Sugerimos que vc converse com seu médico a respeito. Como pacientes com lúpus contuma fazer uso de corticóides, que suprimem a função imune, mesmo em se tratando bactérias “do bem” (os probióticos ou lactobacilos) devem ser usados com cuidado. Assim, seu médico (que conhece seu caso, sua medicação e sabe como anda o controla da doença) é a pessoa mais indicada para dizer se vc pode fazer uso de probióticos e em qual quantidade.

      Gde abraço,

      Juliana

  17. Muito intressante a reportagem!
    Tenho IL,qual o melhor probiótico e o prébiótico mais indicado?
    Como ingiro bastante fibra insolúvel(verduras e legumes),tenho medo de “fermentar”demais.
    Tb:como posso diferenciar se o desequilíbrio é da microbiota do Idelgado ou do Igrosso?
    É importante esta diferenciação?
    Obrigado!
    Karime.

    • Juliana Crucinsky on

      Olá karime!

      Os legumes possuem também fibras solúveis, e são justamente as fibras solúveis as que são fermentadas e não as insolúveis! Sugiro que vc consulte um Nutricionista, que é o profissional mais indicado para fazer uma análise da sua alimentação e de acordo com os possíveis sintomas, e com suas necessidades, adequar sua alimentação e indicar, se necessário, a suplementação de fibras prebióticas e de bactérias probióticas.

      Com relação a sua dúvida sobre o desequilíbrio das microbiotas, em geral, quando há algum desequilíbrio, ele é global, ou seja, não é restrito so a uma porção intestinal.

      Gde abraço,

      Juliana

  18. Bom dia!

    Gostaria de saber se a nivel hospitalar o NUTRICIONISTA tem amparo LEGAL para prescrever LACTOFOS E LACTIVOS ou deve obrigatoriamente ser prescrito por nutrólogos (médicos)?

    Obrigada

    • Olá Ana,

      Seja em nivel hospital ou ambulatorial, o Nutricionista tem toda autonomia para prescrever estes (e diversos) suplementos, conforme a Lei nº 8.234, que regulamenta a profissão de nutricionista e a Resolução CFN nº 390/2006, que regulamenta a prescrição dietética de suplementos nutricionais pelo nutricionista desde que os mesmos não estejam registrados na Anvisa como medicamentos (como é o caso do Yakult LB).

      O que pode limitar esta prescrição é, no caso de hospitais públicos, o que está previsto em edital, já que praticamente todos os hospitais públicos terceirizam a empresa de alimentação. Muitas vezes estas empresas é que ficam responsáveis pela compra de muitos suplementos e se produtos como Lactivos e Lactofos não estiverem previstos no edital de contratação da firma, NINGUÉM (seja médico ou nutricionista) poderá prescrevê-los, já que o produto não poderá ser comprado. Em casos nos quais a secretaria de saúde compra diretamente dos fornecedores e os distribui aos hospitais, o produto também precisa estar previsto na listagem. Já em hospitais particulares, o que pode ocorrer é algum tipo de exigência dos planos de saúde, para que a prescrição seja somente do médico, mas acredito que se isto ocorre, o caso deveria ser levado aos Conselhos Federal e Regional de Nutrição para uma averiguação.

      Gde abraço,

      Juliana

    • juliana_nutri on

      Olá Paulo,

      Vc tem algum bairro de preferencia? Eu atendo na Freguesia em Jacarepaguá. Caso vc tenha interesse, o consultório fica na Estrada de Jacarepaguá, 7655 sala 204 (Edifício Unicenter) – tel: (21) 3904-4401.
      Caso o local não seja viável pra vc, posso indicar algumas colegas que atendem em outros bairros.

      Gde abraço,

      Juliana

  19. Boa noite!

    Parabéns pelo site, sempre muito esclarecedor!

    Gostaria de saber se os leites fermentados, tipo yakult, possuem lactose. Se não, a ingestão diária de um potinho seria suficiente para um adulto? Faria alguma diferença ingerir em jejum ou com o estômago cheio? Quais os sintomas dá disbiose intestinal? poderia causar dor na coluna, na região dá virilha, bem como nos membros inferiores?

    • Olá Diana,
      Sim, leites fermentados possuem lactose, mas em um teor mais baixo do que o leite comum. Algumas pessoas que tem uma IL mais branda conseguem consumir leites fermentados sem terem sintomas de IL. A disbiose intestinal não tem relação direta com nenhum dos sintomas que vc relata. Consulte um medico para avaliar eses sintomas, ok?

  20. tenho um filho de 1a8m, já fui em gastro, nutricionista, alergista, pediatras, hematologia, pneumologista e até agora minguem disse o que o meu filho tem, a nutricionista passou banana verde, fibras e glutamina e disse que a mucosa intestinal dele esta inflamada, mesmo tomando isso, ele da crise de diarréias, lendo o seu site descobrir que ele tem os mesmo sintomoas a disbiose intestinal, ele fica tão assado que sai até sangue, estou perdida, qual o medico correto para fazer o tratamento, ele já fez os examos de lactose, sacarose, glutem, investigação alimentar (exame de sangue) e não acusou nada, tudo normal, eu não sei mas o que fazer….., estou perdida, no seu site comei a ver a luz no fim do túnel, por favor dei-me uma orientação.

    • juliana_nutri on

      Olá Cláudia,

      Esse tratamento que a Nutricionista passou ajuda na disbiose! Infelizmente nem sempre a melhora é imediata, mas é importante vc ir seguindo as recomendações dela para que o intestino do seu filho melhore. Converse com a nutricionista a respeito dos testes para alergia tardia (mediada por IgG), como o Food Detective, veja se ela os conhece e se trabalha ou indica algum deles, já q também é importante avaliar se seu filho não tem nenhum hipersensibilidade alimentar q não esteja aparecendo noss exames tradicionais.

      Gde abraço,

      Juliana

    • Miriam, procure a Mundo Verde ou outras lojas que trabalham com alimentos especiais. Geralmente o produto é um composto de lactobacilos. Abs

    • juliana_nutri on

      Olá Mirian,

      Sua nutricionista não indicou nenhum lugar?
      Em geral este produto é vendido em lojas de suplementos esportivos e lojas de produtos naturais. Tb pode ser comprado pela internet.

      Gde abraço,

      Juliana

  21. TRANSPLANTE DE FEZES
    Existe algum tempo, tratamentos com resultados satisfatórios estão sendo feitos para repovoar a microbiota intestinal para que alcance seu equilíbrio, eliminando e prevenindo doenças, além de regular todo o organismo. Como são muitas as bactérias desse microbiota, muitas desconhecidas, os cientistas selecionaram doadores saudáveis para doá-las, sendo extraídas de suas fezes. Após exames de fezes que garantissem que nenhuma doença estaria nas fezes, um soro delas que contém as bactérias e partes mais pequenas foi introduzido no intestino dos doentes (existem várias técnicas: por sonda, endoscopia, colonoscopia). Veja mais em: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,transhttp://hypescience.com/o-que-e-transplante-de-fezhttp://www.youtube.com/watch?v=JZofDAf8jWs

  22. Oi,há alguns dias peguei um resfriado,fiquei com febre e fraco, tomei azitromicina com algy-flanderil, fiquei bom, mas 2 dias depois me acarretou numa diarreia(sem vômito,sem sangue, apenas perda de peso) de mais de 2 semanas meu intestino ficou irritado o deve ter acontecido o que tomar?

  23. Em julho tive uma crise de diverticulite aguda com infecção, em setembro tive outra, e foi feita a cirurgia de retirada de 3 centímetros do intestino grosso por vídeo laparoscopia. Desde criança que eu tinha prisão de ventre, e não me sinto bem quando tomo leite. Foi por causa da intolerância à lactose que eu tive a diverticulíte?

    • Monica, acredito que somente o seu médico poderá afirmar se a intolerância à lactose poderia estar relacionada a diverticulite. Converse com ele. Abs

Deixe um comentário