Anúncio

O que há de novo sobre a intolerância à lactose?

27

O que há de novo sobre a intolerância à lactoseInteressado em saber o que está sendo discutido pelos maiores especialistas da área? Leia um breve resumo sobre recentes estudos realizados por pesquisadores da Europa e América do Norte sobre a intolerância à lactose. A imagem que ilustra este post são cristais de lactose.

1. Um novo estudo na área mostrou que pessoas que sofrem com a intolerância à lactose podem amenizar os sintomas desta intolerância alimentar ao incorporarem pequenas quantidades de certos alimentos que contém lactose em sua dieta. Dezessete meninas afro-americanas (entre 11 – 15 anos) foram submetidas a uma dieta de 33g de lactose por dia. Testes de inalação de hidrogênio foram conduzidos nas pacientes uma vez ao dia. Quatorze das dezessete meninas apresentaram problemas de digestão da lactose. Ao final deste estudo, todas as participantes tiveram uma redução na produção de hidrogênio apresentada nos exames. Esta redução demonstra que a colônia de bactérias possui a capacidade de adaptar-se a uma dieta com lactose.

2. Novos estudos sobre a intolerância à lactose revelam uma correlação positiva entre genes e a intolerância à lactose. Pesquisadores do Departamento de Medicina Interna da Medical University of Graz, Áustria, utilizaram o teste de inalação de hidrogênio a fim de verificar se havia uma relação entre pessoas que são intolerantes a lactose e este determinado gene. Através deste novo exame, será possível identificar pessoas com esta intolerância alimentar e este será útil na diferenciação entre intolerância à lactose e outros problemas de saúde como a Síndrome do Intestino Irritável e Alergia ao Leite.

3. Médicos preocupam-se que pacientes com IL não incluam uma quantidade suficiente de cálcio em sua alimentação, aumentando assim o risco de desenvolver osteoporose. Um novo estudo feito pelo Departamento de Genética Médica na Universidade de Helsinki, na Finlândia, entretanto, mostrou que pacientes possuem a mesma incidência de osteoporose do que aqueles que toleram a lactose. Neste estudo, 52 mulheres (23%) com o gene da intolerância à lactose tiveram osteoporose, enquanto 59 mulheres (15,3%) que não possuíam o gene da intolerância à lactose, tiveram osteoporose. A diferença não foi estatisticamente significativa. Os autores sugerem que pacientes com IL consumam suplementos de cálcio com maior freqüência, uma vez que eles não consomem laticínios em sua dieta.

4. Um outro estudo realizado recentemente discorre sobre o fato de pacientes que estão recebendo tratamento quimioterápico possuírem mais chances de tornarem-se intolerantes à lactose (94% dos pacientes que receberam tratamento quimioterápico neste estudo tornaram-se intolerantes à lactose). Em um outro estudo, mostrou-se que há uma correlação positiva entre a intolerância à lactose e a intolerância à frutose (açúcar encontrado em diversos alimentos). Este estudo, publicado no Clinical Nutrition Journal, sugere que 47% dos sujeitos com intolerância à lactose, também são intolerantes à frutose.

Fonte:
O resumo dos estudos acima apresentados foram traduzidos do artigo intitulado Lactose Intolerance: Definition, Symptioms and Treatment, dos autores Eli D. Ehrenpreis, MD, Rush University Medical School, Chicago, Illinois e Benjamin Z. Ehrenpreis, Bradley Univeristy, Peoria, Illinois. O artigo foi publicado pela IFFGD – International Foundation for Functional Grastrointestinal Disorders (EUA) e revisado em 9/2007.

Anúncio
Compartilhe.

Sobre o autor

Portoalegrense, graduada em Letras, MBA em Marketing de Serviços pela ESPM-RS e MBA Executivo pela FDC. Na área de culinária, Luciane fez cursos no IESB, Escola de Gastronomia de Brasília, além de diversos workshops no Brasil e no exterior. Após descobrir sua intolerância à lactose em 2006, Luciane passou a pesquisar o tema e deu início à criação e adaptação de receitas, substituindo ingredientes e experimentando novos sabores. Em 2007 nasce o Semlactose.com e, desde então, Luciane atua como editora e administradora do site, sempre em busca de novidades na área.

27 Comentários

  1. Olá Juliana, eu tenho 46 anos e descobri q tenho intolerancia á lactose e frutose há um ano e tenho mtas duvidas , uma delas é: se eu nao fazer dieta o q pode ocorrer comigo? Eu sei muito pouco sobre assunto. Um abraço

  2. Márcio Nonenmacher on

    Boa Noite Juliana.
    Nosso filho de 01 ano tem IL, não sabemos ao certo ainda se isso esta ligado ao fato de minha esposa ter dado leite de caixinha quando ele tinha apenas 04 meses. Ela acabou dando o leite porque o leito do peito reduziu muito e uma amiga nossa disse que deu a seu filho e foi normal.
    Quando minha esposa deu o leite a reação foi que ele ficou todo vermelho, como se estivesse queimado. Levamos imediatamente ao médico e la confirmamos que ele não pode tomar outro leite senão do peito ou então outro leite que estamos dando agora.
    Os sistomas estão piorando a todo instante, na ultima semana minha esposa fez arroz com queijo e ela num ato de puro carinha de mão beijou seu rosto, imediatamente sua bochecha ficou toda avermelhada.
    Estou te escrevendo porque necessito saber se você pode indicar algum médio especialista na area, independente de onde for precisamos tratar e ver possibilidade de cura ou não.
    Conseguimos marcar uma consulta com o Dr. Bayard (acho que é assim que se escreve) em Porto Alegre, disem que é bom.
    Aguardo algum comentério seu.

    Att
    Márcio Nonenmacher

    • Olá Marcio,

      Pelo seu relato, seu filho desenvolveu alergia às proteínas do leite, e não IL. São coisas bem diferentes, apesar de terem o leite em ponto comum. é importante q seu filho seja acompanhado por um alergologista e por um nutricionista. E como o mecanismo de alergia foi "ativado", é necessário excluir completamente leite e derivados da alimentação dele, da alimentação da sua esposa (caso ela ainda esteja amamentando) e ter muito cuidado com a contaminação cruzada, para evitar relatos como o q vc mencionou. Em muitos casos, após os 3 anos de idade, a alergia tente a regredir, mas para q isso ocorra, é necessário manter a exclusão durante todo o período indicado pelo médico.

      Gde abraço,

      juliana

  3. Boa tarde,

    Estava apresentando um quadro de refluxo e o médico pediu o exame de IL, que deu positivo. Uma coisa tem haver com outra?

    Quando como queijo, sinto muito desconforto.

    • juliana_nutri on

      Olá Adriana,

      Algumas pessoas com IL queixam-se de náuseas e de refluxo, então, no seu caso, pode estar recionado. mas seria interessante o médico pesquisar se não há nenhuma outra possível causa para o seu refluxo, ouse ele esta relacionado somente a IL.

      Gde abraço,
      Juliana

  4. Olá,convivo com a intolerancia a lactose há sete anos. Ja fiz acompanhamento com gastro, nutricionista, enfim, tudo para poder viver be. Mesmo tendo IL, sempre que faço exame a minha está mais avançada. Não posso consumir nada que contenha lactose que passo mal, minhas crises não são iguais, sempre que eu tenho é mais forte que a anterior e isso me preocupa muito. Gostaria de saber que tipo de consequencias posso vir a ter por conta das minhas severas crises?

    Obrigada!

    • Olá Edmária,

      Como são suas "crises"? Fora todo o mal estar e desconforto que a ingestão de lactose ocasiona, se vc tiver diarréia, as consequencias mais sérias, serão por conta disso.
      Quando temos diarréia, os nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais) não são absorvidos (por que são eliminados nas fezes) e com isso, inúmeras deficiencias podem surgir, com suas (muitas vezes graves) consequencias como anemia, osteoporose, queda de cabelo, desnutrição, deficiencia imunológica (e maior risco de infecções), etc…
      O ideal é que vc evitasse ingerir alimentos contendo lactose, para prevenir as crises. Procure um nutricionista, para fazer uma adequação na sua dieta, de forma que vc encontre substitutos para os alimentos ricos em lactose e assim, consiga prevenir o surgimento das deficiencias nutricionais.

      Gde abraço,

      Juliana

  5. juliana. tenho uma filha com 1 ano e dez meses ela tem,galactosemia tipo 1,ela esta bem de saude mais preciso saber mais sobre alimentos liberados e os proibidos pricipalmente frutas e verduras do nordeste,gostaria de saber mais e se a sra. atende no consultorio.obrigado

    • Olá Fábio,

      Realmente o acompanhamento nutricional nesses casos é muito importante já que o único tratamento efetivo (e disponível) até o momento, para a galactosemia, é a dieta! Eu atendo no Rio de Janeiro. Vc mora em que cidade? Qq coisa, me mande um e-mail (juliana@semlactose.com).

      Gde abraço,

      Juliana

  6. ADRIANA GARCIA on

    Qual a diferença entre alergia e intolerância a lactose? As duas tem cura? Uma criança que tem alergia a lactose pode consumir alimentos com vestigios de leite? Desde já agradeço pelas informações. Um abraço!

  7. Olá Thaís,

    Sangue oculto nas fezes está muito mais relacionado à alergia às proteínas do leite (ALV) do que à IL! O exame para diagnóstico da IL é feito a partir da ingestão de uma solução contendo lactose e após, o sangue é coletado dentro de alguns intervalos de tempo, para ser analisado.

    Seria interessante seu filho fazer outros testes de alergia (punção cutânea e dosagem de imunoglubulinas no sangue), pois é bem provável que ele seja alérgico ao leite (às proteínas) e não intolerante à lactose!

    Gde abraço,

    Juliana

  8. Olá!! Meu filho (1 ano) tem intolerância à lactose e, para chegar a este diagnóstico, os médicos se basearam no resultado positivo do exame de "sangue oculto nas fezes". Gostaria de saber se este exame é base para diagnóstico de IL, pois ele não apresentava sintomas comuns, somente baixo ganho de peso e este exame positivo. Aguardo retorno. Obrigada

  9. Olá Elaine!

    Dependendo de como esteja sua mucosa intestinal, pode ser que vc não esteja digerindo bem o amido (que é um carboidrato) presente nas massas e pães.

    Também não podemos descartar a hipótese de vc estar fazendo alergia ao glúten, presente em tudo q leva farinha de trigo, pois como a mucosa intestinal fica fragilizada por causa da diarréia, o intestino pode absorver indevidamente alguns pedaços maiores de proteínas. O melhor, seria vc consultar um gastroenterolgista, para fazer uma avaliação.

    Gde abraço.

  10. Olá parabéns pelo espaço de discussão sobre este assunto.

    Eu tenho intolerância à lactose e venho percebendo que pães e massas causam o mesmo desconforto abdominal e inchassos que a lactose me causa. É possível desenvolvermos outras intolerâncias a carboidratos?

    Obrigada

    abraço

    Elaine

  11. Olá Márcia,

    Nem todas as pessoas que possuem IL tem dificuldade para digerir a sacarose. Estes dois açúcares são digeridos por enzimas diferentes (lactase e sacarase) e somente nos casos de diarréia prolongada é que pode ocorrer uma deficiencia transitória de sacarase (assim como a deficiencia de lactase tb pode ser transitória), já que estas enzimas ficam próximas uma da outra na superfície da mucosa intestinal.
    Quanto a substituir a sacarose por adoçantes, isso vai depender de uma série de fatores, como idade da pessoa (o uso de adoçantes não é indicado p/ crianças), se é gestante ou não (gestantes tb não devem fazer uso de adoçantes, pois há riscos para o feto), tipo do adoçante (ex: os que contém aspartame não devem ser usados por quem tem fenilcetonúria; os que contém sódio devem ser usados com cautela por hipertensos e doentes renais, etc, etc, etc). Então, antes de iniciar o uso de qq adoçante, seria aconselhável consultar um nutricionista para maiores informações a respeito, ok?

    Gde abraço,

    Juliana

  12. Juliana Crucinsky on

    Olá Claudinara!

    As consequencias vão depender da gravidade dos sintomas. Sempre q há diarréia, as consequencias são muito maiores!Em cada episódio de diarréia, perde-se grande quantidade de água, sódio, potássio e nutrientes, o que pode causar desidratação (que é bem mais grave se for em crianças ou idosos), deficiências de vitaminas e minerais, com consequente enfraquecimento do sistema imunológico, perda de peso, etc, além de aumentar as chances de lesões na mucosa intestinal, que com o tempo (caso a situação se perpetue) pode favorecer o surgimento de alergias alimentares pelo aumento da permeabilidade intestinal.

    Dependendo do grau da IL, pequenas a moderadas quantidades de leite e derivados podem ser consumidas sem acarretar prejuízos à saúde, porém qdo a intolerancia é mais grave, a dieta precisa ser seguida corrtetamente para que o intestino tenha condições de se recompor e até voltar a produzir a enzima.

    As cápsulas são as que contém a enzima lactase e devem ser prescritas por um médico, após avaliação do paciente.

    Gde abraço,

    Juliana

  13. Gostaria de saber quais as consequências p/ saúde da não observância de dieta qdo detectada a IL, e qual é a cápsula que pode suplementar a insuficiencia da enzima lactase.

    Grata

    Claudinara

  14. Juliana Crucinsky on

    Olá Vera!

    Infelizmente não há nada que substitua a lactase!
    A lactase, na verdade, não é um medicamento…é a enzima responsável pela digestão da lactose, e quando ausente no organismo, ou produzida em quantidades insuficientes, pode ser suplementada, através das cápsulas.

    Gde abraço,

    Juliana

  15. Juliana Crucinsky on

    Fernanda, todos os medicamentos que influenciam o funcionamento intestinal, principalmente aqueles que causam diarréia, são os que podem levar a uma IL transitória. A enzima lactase fica localizada na borda das células intestinais e diarréias constantes e/ou prolongadas levam à perda ou diminuição temporária desta enzima.

    Gde abraço,

    Juliana

  16. Juliana Crucinsky on

    Olá Juliane!

    Não existe ALERGIA à frutose e nem à lactose, simplesmente porque as duas substâncias são carboidratos. Carboidratos podem causar INTOLERÂNCIA, que é uma dificuldade em absorvê-los. Alergias envolvem ação do sistema imunológico e são causadas por proteínas.

    A intolerância hereditária à frutose é um distúrbio hereditário no qual o organismo não consegue utilizar a frutose porque uma enzima (fosfofrutoaldolase) está ausente e apresenta sintomas e conseqüências mais graves que a intolerância à lactose. Como conseqüência, a frutose 1-fosfato, um subproduto da frutose, acumula-se no organismo, impedindo a formação de glicogênio e a sua conversão em glicose para ser utilizada como energia.

    A ingestão a de frutose ou sacarose (açúcar comum, que é formado por glicose + frutose), provoca hipoglicemia (concentração sérica baixa de glicose), sudorese, tremores involuntários, confusão mental, náusea, vômito, dores abdominais e, algumas vezes, convulsões e coma. Podem ocorrer lesões renais e hepáticas e deterioração mental quando a pessoa continua a consumir alimentos contendo frutose.

    O tratamento inclui a eliminação da frutose (presente em frutas, mel, etc), da sacarose (doces, sorvetes, bebidas adoçadas, etc, etc e do sorbitol (um substituto do açúcar) da dieta.

    O que é mais comum de ocorrer junto com a IL é intolerância à sacarose, pois as enzimas que degradam este açúcar localizam-se em local próximo à lactase (que digere a lactose) e em algumas situações (como diarréias de origem infecciosa) ambas as enzimas podem estar deficientes.

    De qualquer forma, se a IL estiver associada à intolerância à frutose ou à sacarose, a pessoa deverá ser acompanhada por um médico especialista e deve ser orientada quanto à alimentação por um nutricionista, pois as restrições alimentares serão maiores e consequentemente o risco de deficiências nutricionais também serão.

    Gde abraço!

    Juliana

  17. Olá, gostaria de perguntar se os sintomas da alergia à frutose são os mesmos da lactose, e quais as implicações de se ter as duas intolerâncias.

    Grata

  18. Nossa, sempre vai surgindo algo novo. Bom saber que estão pesquisando mais sobre a intolerância. Se esse negócio da frutose acontecesse comigo ia ser um horror, eu como umas cinco frutas por dia…
    Bração.

Deixe um comentário